Qualificado para o Oscar 2021, curta-metragem brasileiro “Umbrella” divulga trilha sonora no Spotify | Latinos Brasil | www.latinosbrasil.com Latinos Brasil | www.latinosbrasil.com

Qualificado para o Oscar 2021, curta-metragem brasileiro “Umbrella” divulga trilha sonora no Spotify

Lançado no Youtube no último 7 de janeiro, em menos de uma semana o filme já tem 50 mil visualizações orgânicas. O filme está disponível gratuitamente até dia 21 de janeiro no canal Stratostorm.

Com trilha sonora original, criada por Gabriel Dib, o curta-metragem “Umbrella”, (confira aqui o curta-metragem, disponível até dia 21 de janeiro) que conta com direção de Helena Hilario e Mario Pece, lançou nesta semana seu álbum no Spotify.  Os arranjos musicais dão o tom da narrativa, que mesmo sem diálogo conseguem aprofundar o sentimento dos personagens de empatia, perda, acolhimento, esperança e amor. As composições foram gravadas no Capitol Studios, em Los Angeles, onde grandes músicos como Frank Sinatra, Nat King Cole e The Beach Boys gravaram.

Inspirado em uma situação vivenciada pela irmã da diretora, o filme é o primeiro curta de animação brasileiro qualificado para o Oscar, e antes mesmo já tinha feito história no audiovisual do Brasil ao ser selecionado em 19 festivais que qualificam para a disputa por um lugar na Academia. Entre eles, o Tribeca, Cinequest, Chicago International Film Festival, Calgary International Film Festival, Animayo, e outros. O projeto foi escrito em dezembro de 2011 e ganhou vida e carreira em 2019.

Os diretores Helena Hilario e Mario Pece

“Umbrella” é um projeto muito especial pra mim. Sou pai de uma menina de cinco anos, então me conecto profundamente com a história do Joseph, o protagonista do filme”, comenta Gabriel. “O processo de criação da trilha original começou na identificação dos pontos e emoções que eu e os diretores idealizamos para interagir com a narrativa”, adiciona.

Pianista e um amante da música clássica, Gabriel Dib aponta como suas principais referências as trilhas sonoras de filmes como “What Dreams May Come”, de Vincent Ward, e “The Odd Life of Timothy Green”, de Peter Hedges. “As partes de Oboé e Clarinete foram gravadas separadas da excepcional orquestra que contamos para essa trilha. São os instrumentos que mais dão o tom de leveza nos momentos difíceis apresentados na história”, explica ele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *