Pabllo Vittar é a #ArtistaDoMês | Latinos Brasil | www.latinosbrasil.com Latinos Brasil | www.latinosbrasil.com

Pabllo Vittar é a #ArtistaDoMês

Nossos seguidores votaram e escolheram: nossa artista do mês de janeiro aqui no Latinos Brasil é Pabllo Vittar!

Fizemos uma enquete em nosso Twitter entre Aretuza Lovi, Gloria Groove e Pabllo Vittar. Como os vittarlovers não brincam em serviço, a rainha levou o pódio. Não se esqueçam que para participar de nossas enquetes, é só seguir o Latinos Brasil no Twitter.

Ative o seu Modo Turbo e vêm na nossa Garupa acompanhar a carreira dessa cantora Indestrutível que está de Parabéns!

Hoje, Pabllo Vittar é sinônimo de sucesso! Chegou a ser a drag queen mais seguida do Instagram e ganhou visibilidade internacional. Com parcerias com Diplo, Anitta, Major Lazer, Iggy Azalea e Charlie XCX em seu extenso currículo, nem sempre a vida de Pabllo foi assim.

Foto: Reprodução/Instagram

O início de tudo

Phabullo Rodrigues da Silva nasceu dia 1 de novembro de 1993, natural de São Luís, no Maranhão. Se um é pouco, dois é bom, três é bom demais! Pabllo tem duas irmãs, sendo uma delas gêmea! Essa escorpiana é filha de Verônica Rodrigues, uma técnica de enfermagem. Ainda durante a infância, Pabllo tinha aulas de balé clássico e por causa disso e de sua voz, considerada fina, sofria bullying na escola. Mas ela sempre se sentiu diferente e por mais que não fosse fácil na época, Pabllo transformou isso tudo em arte, como podemos ver em seu hit “Indestrutível“.

No começo da adolescência, Pabllo cantava em festas no Maranhão e em 2011 começou a postar vídeos cantando covers em seu canal do YouTube, Pabllo Knowles, como era chamada em homenagem à Beyoncé. Em 2014 teve sua primeira apresentação televisionada. No programa “Pop”, da TV Integração, Pabllo cantava covers de grandes nomes da música, como Whitney Houston e Michael Jackson.

 

Reviravoltas

Pabllo chegou a se mudar para São Paulo aos 16 anos para tentar uma carreira artística. Como nem tudo são flores, acabou não sendo o que esperava e ela passou a trabalhar em salões de beleza e como operadora de telemarketing. Foi nessa época também que a cantora se assumiu homossexual para sua mãe. Segundo Pabllo, sua mãe já esperava e foi mais que acolhida pela família. E o que muitos não sabem é que após esse período em São Paulo, ela se mudou para Minas Gerais porque havia passado na Universidade Federal de Uberlândia para estudar Design. Foi nessa época que conheceu Urias! Foi nessa época também que Pabllo se montou como drag queen pela primeira vez! Depois disso foi convite atrás de convite e logo sua agenda estava lotada, o que com que Vittar trancasse a faculdade.

Nasce uma estrela

Com sua popularidade cada vez maior, um de seus vídeos chegou ao produtor musical Rodrigo Gorky. Gorky fez questão de conhecer Pabllo e desse encontro nasceu o primeiro grande hit da cantora: “Open Bar“, uma versão da música “Leon On”, do Major Lazer.

 

O videoclipe de “Open Bar” foi gravada na casa de um amigo e teve o orçamento de apenas R$600,00 para a produção geral. Pronto! Foi aí que nasceu a Pabllo Vittar que conhecemos hoje. E foi sucesso na certa: com menos de 4 meses o vídeo já havia batido a marca de 1 milhão de visualizações no YouTube.

O sucesso foi tamanho, que Pabllo saiu em sua primeira turnê, a turnê Open Bar, o que rendeu o convite para participar do programa “Amor & Sexo“, da Rede Globo.

Vai Passar Mal

Capa do álbum “Vai Passar Mal” (2017). Foto: Reprodução/Instagram

Já sem contrato com a Globo, Pabllo e Gorky fizeram novamente uma parceria que rendeu seu primeiro álbum: “Vai Passar Mal“. O álbum de estreia se tornou um verdadeiro hinário! Com parcerias icônicas com Mateus Carrilho, Lia Clark e Diplo, o CD de 2017 fez tanto sucesso que a equipe de Pabllo teve que rever o projeto. Isso porque o PV1 inicialmente seria apenas um álbum virtual. Mas fez TANTO sucesso, os fãs pediram TANTO, que o projeto acabou ganhando versões físicas. “K.O.“, uma das faixas do álbum, chegou até a ser trilha sonora da novela das 21h da Globo, “O Outro Lado do Paraíso“.

Outro destaque dessa era é o hit “Decote” de Preta Gil. Preta convidou Pabllo para participar do single. A música tem letra empoderada e feminista, falando sobre liberdade de escolha.

Prazer, Pabllo Vittar

Ela não para! Já com experiência em rede nacional, Pabllo assinou com a Multishow e teve seu próprio programa. Em 2018, “Prazer, Pabllo Vittar” teve sua primeira e, infelizmente, única temporada. Servindo muitos looks, batendo papo com convidados e, claro, cantando muito (inclusive covers incríveis), o programa fez sucesso nas redes sociais.

Super Drags na Netflix

Quem acha que Pabllo só canta e dança se enganou (e muito). Ainda em 2018, a diva foi convidada pela Netflix para participar da nova animação adulta “Super Drags“. Além de dublar a personagem Goldiva, ela também participa da trilha sonora com a canção inédita “Highlight“.

Feats e mal entendidos

Com tanto feat bom, Pabllo teve que tirar do ar um dos maiores hinos do carnaval: “Todo Dia“. Isso porque teria haviado um desentendimento com o outro intérprete da música: Rico Dalassam. Isso fez com que o hit ficasse de fora do álbum “Vai Passar Mal“. Atualmente, não há versões oficiais do hit em nenhuma plataforma digital de áudio ou vídeo.

Outro hit que impulsionou ainda mais a carreira de Pabllo foi “Sua Cara“, em que ela e Anitta fazem parceria na música do Major Lazer.

Até hoje não se sabe ao certo o que aconteceu entre as duas divas. Na época, as duas até pararem de se seguir nas redes sociais. Mas o que sabemos é que está tudo resolvido e já temos até outra parceria entre Anitta e Pabllo.

Não Para Não

Capa do álbum “Não Para Não” (2018). Foto: Reprodução/Instagram

Assim como o mega hit “K.O.” de “Vai Passar Mal”, assim que Pabllo lançou “Problema Seu”, lead single de “Não Para Não” foi sucesso instantâneo! O single foi seguido por “Buzina”, que ambos viraram músicas do verão, sendo as mais tocadas no Carnaval. O PV2 tem 10 faixas e saiu em 2018, com participações de Ludmilla, Urias e Dilsinho. Nesse meio tempo, Pabllo foi chamada para fazer um feat especial para uma campanha da Coca-Cola Brasil, com participação de Luan Santana e Simone & Simaria. O projeto “Coca-Cola Fan Feat“, como ficou conhecido, rendeu a música “Hasta La Vista” que dominou as paradas nas rádios. E como não poderia ser diferente, foi sucesso! Servindo muitos looks, coreografia e tecnologia, a música dominou as paradas brasileiras.

111

Capa do EP “111” (2019). Foto: Reprodução/Instagram

Em comemoração ao seu aniversário, dia 1 de novembro (1/11),  Pabllo lançou o EP “111“. “111” é EP prévia do álbum de mesmo nome, também viralizou como “111 PT 1″.

Capa do álbum “111” (2020). Foto: Reprodução/Instagram

Percebendo o sucesso de “Hasta La Vista”, a Coca chamou Pabllo para estrelar a nova campanha “Vai no Gás”. A música da vez foi “Clima Quente”, em parceria com Jerry Smith. Diferente de “Hasta La Vista”, “Clima Quente” entrou para o álbum de Pabllo e é uma das 9 músicas do álbum lançado em 2020. Quase todas as canções se tornaram hits! Cheio de feats com Psirico, Ivete Sangalo e Jerry Smith, Pabllo se lança na carreira internacional com Thalia e Charlie XCX. O sucesso de “Flash Pose”, parceria com Charlie e primeiro single em inglês de Pabllo, foi tamanho que a drag chegou a performar no MTV EMA, na Espanha. Pabllo, além de ter sido a primeira artista brasileira a se apresentar no pré-show, levou o prêmio de “Melhor Artista Brasileira“.

 

Além dos sucessos já citados, não podemos esquecer do icônico “Parabéns”. O hit é para essa geração o equivalente ao hit de aniversário eternizado pela rainha dos baixinhos, Xuxa. E como tudo o que Pabllo faz, hita, com “Parabéns” não foi diferente. A música foi uma das mais tocadas, cantadas e até dançadas no Carnaval. A coreografia (assim como a canção) é chiclete e 10 a cada 10 bloquinhos de rua, encontrava alguém com a coreografia afiada e a letra na ponta da língua. Não é para qualquer um não! E claro, não podemos esquecer do outro hit de Carnaval amado pelo público: “Amor De Que“.

 

111 DELUXE

Capa do álbum “111 DELUXE” (2020). Foto: Reprodução/Instagram

Diferente dos álbuns “Vai Passar Mal” e “NPN“, que só ganharam versões em remix, “111” ganhou uma versão deluxe! Isso significa que além das faixas já presentes na versão tradicional do álbum, “111 Deluxe” ganhou uma nova roupagem. As músicas da primeira versão ganharam remix e novos intérpretes, além de faixas exclusivas como “Eu Vou” e o mega hit “BANDIDA“, em parceria com POCAH.

Prêmios e reconhecimento internacional

2019 foi o ano de Pabllo! Aquela cantora que se apresentava na Parada do Orgulho LGBT no Maranhão, em 2019 performou na Parada Gay de Los Angeles, uma das maiores do mundo. Depois, ela se apresentou ainda em Miami, Chicago, Toronto (no Canadá), Nova York e São Francisco. Além de ter sido a drag queen mais seguida no Instagram, desbancando RuPaul, Pabllo foi a dragão queen mais ouvida no Spotify!

Além disso, também em 2019, Pabllo foi convidada pela ONU para se apresentar na sede da organização em Nova York! No evento sobre igualdade e inclusão, ela cantou “Corpo Sensual“, “Disk Me” e “Indestrutível“.

“Vai ter viado na ONU sim!” Foto: Reprodução/Instagram

Além de já ter sido capa de revistas internacionais, como a “Gay Times”, “Paper”, “Notion”, aqui no Brasil, 2020 foi ano de fazer história nas revistas. Ano passado Pabllo estampou a capa da “Vogue” em outubro. Além disso, em dezembro,  Pabllo foi eleita “Homem do Homem” pela revista GQ e estampou a edição do mês. Foi a primeira vez que uma drag queen recebe o título no país.

Capa da revista GQ de dezembro de 2020, em que Pabllo é homenageada como “Homem do Ano”. Foto: Reprodução/Instagram

Isso gerou muita polêmica na internet e só mostrou a pluralidade artística de Pabllo. A ocasião também relembra o que a cantora sempre disse sobre não mudar seu nome para algum feminino enquanto performa:

Nunca senti a necessidade de optar por um nome feminino porque, quando decidi fazer drag, queria passar verdade através da minha arte, música, do que acho que sou. Pabllo me representa de uma forma que você não tem noção. Acho que, se eu tivesse um nome feminino, não ia passar tanta verdade. Não gosto de me trancar em uma caixa. Gosto de ser afeminada, de ser isso aqui, de sair na rua às vezes de boné. Gosto de ser o que quiser ser.

 

Luta contra homofobia

Infelizmente, o Brasil é um dos países mais violentos contra a comunidade LGBTQIA+. Por isso mesmo, Pabllo é o maior símbolo de talento e resistência. Por ser drag, constantemente seus trabalhos são censurados. Seus videoclipes de “Parabéns“, “Bandida” e “Modo Turbo” foram excluídos do YouTube. Após muita divulgação e cobrança, voltaram a ser exibidos na plataforma.

 

E aí, gente, ela é ou não é a maior do Brasil? Ansiosos para os próximos passos! E não se esqueça de que se quiserem participar de nossas enquetes para o próximo artista do mês, é só seguir o Latinos Brasil no Twitter.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *