Liu fala sobre sua carreira e lançamento do single "For You" | Latinos Brasil | www.latinosbrasil.com Latinos Brasil | www.latinosbrasil.com

Liu fala sobre sua carreira e lançamento do single “For You”

Com toda a certeza você já ouviu o verso “Sinto um frio na barriga tudo isso me lembra a cena de um filme”. A letra faz parte do grande hit “Nave Espacial” de Liu, um jovem DJ e produtor, que vem conquistando seu espaço na música eletrônica, não apenas na cena nacional, como também mundial. O artista é considerado atualmente, uma das maiores revelações do gênero no Brasil.

Em 2015, Liu ganhou uma grande projeção com seu primeiro single “Don’t Look Back”, alcançando milhões de plays. Com seu talento e inovação, o Dj chamou atenção de diversos grandes artistas da cena eletrônica, como por exemplo o Alok, com quem chegou a gravar a faixa “All I Want”.

Em dezembro de 2018, Liu lançou “Nave Espacial” em parceira com a cantora Samantha Machado. O single chegou acompanhado de um videoclipe, marcando o primeiro de sua carreira. Com um resultado extremamente positivo, a produção já possui mais de 35 milhões de visualizações no Youtube. Além disso, a faixa ganhou inúmeras versões em outros gêneros, como funk, 150bpm, entre outros.

Depois de carregar uma enorme bagagem de conquistas e se apresentar nos principais festivais eletrônicos do país e do mundo, incluindo “Rock in Rio”, “Tomorrowland”, “Lollapalooza”, “XXXperience” e “Green Valley”, o Dj Liu trouxe um novo lançamento. A faixa intitulada “For You”, é uma parceria do artista com Pynnno, e com a cantora norte-americana Kali J.

Tivemos a oportunidade de bater um papo super legal com Liu, que nos contou detalhes do novo single, do clipe emocionante que acompanha a faixa, de sua carreira e muito mais!

Confira a entrevista completa:
LB: Recentemente você lançou o single “For You”. Como foi o processo criativo?

Liu: O processo criativo foi bem interessante porque cada um agregou algo para a música. “For You” foi feita em parceria Pynnno e com a Kali J, que são artistas muito incríveis. Cada um trouxe algo de especial, algo de bom e resultou nesse produto final. Uma track dance que também é chiclete e pega todos os públicos, tem melodias que trazem nostalgia e sentimentos bons, então é mais ou menos por essa linha.

LB: A faixa chegou acompanhada de um videoclipe. Como surgiu a ideia do clipe?

Liu: A ideia do clipe veio quando eu soltei o set do “Lollapalooza” e muita gente estava me pedindo para escutar a música. Então decidimos fazer um vídeo especial. O Lucio me conectou com a galera do Sugarcane Filmes, com o Diego, e começamos a bolar essa ideia todos juntos. Pensamos em fazer um clipe realmente diferente, que trouxesse novas sensações e sentimentos mais fortes, muito além de um clipe normal que eu soltaria, por exemplo. Óbvio que cada clipe tem seu sentimento, sua força, mas queríamos trazer algo mais enraizado, que trouxesse esperança. É algo que fizemos também com “Children Of A Dream”, um clipe dirigido pelo meu amigo Rafinha que ficou incrível e conseguiu trazer esse algo além, essa parada de emoção, de sentimento, de felicidade e esperança.

LB: Você deu uma declaração de que no começo a música era apenas um hobby, e até chegou a se matricular no curso de engenharia. Como você decidiu deixar a faculdade e ingressar profissionalmente no meio musical?

Liu: Eu realmente levei sempre a música como algo que eu gostava muito de fazer e não dependia de sucesso na música para continuar fazendo. No meio do curso de engenharia que eu comecei, a minha primeira música deu certo, a “Don’t Look Back”, então tive que ir aos poucos fazendo a transição. Teve uma boa época em que estava fazendo faculdade ainda e ia tocar, mas fui e tranquei a faculdade. Só pode trancar por dois anos, mas como as coisas continuaram seguindo, tomei a decisão de efetivamente trancar e seguir só na música.

LB: Na sua visão, como está o cenário da música eletrônica no Brasil?

Liu: É um momento muito bom porque a gente vem em uma ascensão desde 2000, até antes, e chegamos em um momento onde a música eletrônica brasileira está sendo transportada para o mundo. Já tiveram outros momentos assim, mas cada vez mais, vemos as pessoas de outros países se influenciando pela música eletrônica que fazemos aqui no Brasil. Estamos virando referência lá fora e isso é muito bom, porque estamos trazendo novos públicos para nossa música, então é um momento muito feliz.

LB: Atualmente você é um dos grandes nomes da cena eletrônica nacional. Qual a sensação de já ter conquistado tanto em sua carreira?

Liu: É uma felicidade muito grande e uma sensação de trabalho bem feito, mas que está em continuidade e nunca vai parar. Acho que a gente sempre tem que estar trazendo coisas novas para o público, tentando evoluir, trazendo novos sentimentos, novas emoções através da música, melhorando passo a passo. Então justamente esse é meu maior objetivo, continuar evoluindo aos poucos e trazendo coisas boas para o público.

LB: De onde vem inspiração para produzir suas músicas?

Liu: Então, inspiração depende muito. As vezes vem de um filme, as vezes você está na rua vê uma árvore e sente inspiração. Então é uma coisa muito relativa, é um processo muito subjetivo de inspiração. Acontece aos poucos, quando estamos no dia a dia andando, fazendo qualquer coisa, pode aparecer uma ideia, é mais ou menos assim.

LB: Aos 16 anos, você juntou dinheiro vendendo palha italiana na escola para ir pela primeira vez ao “Lollapalooza”. Como foi para você voltar aos 22, se apresentando no palco do Festival?

Liu: Acho que fui uma das coisas mais emocionantes que eu já passei, falando em festivais. O “Lollapalooza”, assim como o “Rock in Rio”, “Tomorrowland”, “XXXperience”, são festivais muito bonitos que representam muito para a gente. Em relação ao “Lollapalooza” especificamente, foi muito emocionante porque meu sonho não era tocar no Lolla, meu sonho era ir para lá como alguém que vai curtir. Quando rolou de tocar no festival foi incrível. Inclusive estamos comemorando que o set do Lolla já está batendo quase quatro milhões de plays, sendo um dos mais vistos do “Lollapalooza” na América, e até no mundo. Isso nos deixa muito feliz, pois temos esse carinho muito grande pelo festival.

LB: Um grande marco na sua carreira podemos citar o lançamento da música “Nave Espacial”, que é um sucesso! Como foi sua reação ao ver o resultado desse trabalho? Esperava tudo isso?

Liu: Foi muito legal mesmo esse lançamento! Eu não esperava que fosse virar um hit no Brasil inteiro e até em outros lugares do mundo. A música foi feita em parceria com a Samantha Machado, que é uma artista muito talentosa e foi um grande marco na nossa vida, foi muito especial mesmo. Eu nunca tinha trabalhado tanto em cima de uma música, igual trabalhei na “Nave Espacial”, passava dia e noite ali, sem parar, 100% focado no material, em terminar a música, depois no clipe e na roteirização. Saber que deu certo foi uma grande conquista para mim, uma grande felicidade.

PING PONG LB

Um feat. para o Lollapalooza? Dubdogz, eles tocaram depois de mim do Lolla e somos muito amigos.

Um feat. para o Rock in Rio? Com Bom Jovi, é claro que é meio impossível (risos), mas se rolasse seria incrível.

Um feat. com Funk? Com Claudinho.

Um feat. Pop Nacional? O bom é que no Pop Nacional eu tenho vários amigos, então não quero falar um só nome. Vou falar alguém que eu admiro muito, mas infelizmente não está entre nós, mas eu gostaria muito de ter algum trabalho com o Tom Jobin. Ele é um grande compositor e é uma das minhas maiores referências na vida. É obvio que é impossível, mas enfim ele é uma grande referência.

Um feat. Internacional? Skrillex, sou muito fã dele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *