Konai conta a historia do lançamento "Bêbados Apaixonados" e compartilha reflexões sobre a música | Latinos Brasil | www.latinosbrasil.com Latinos Brasil | www.latinosbrasil.com

Konai conta a historia do lançamento “Bêbados Apaixonados” e compartilha reflexões sobre a música

Na última segunda- feira (21), o Latinos Brasil conversou com o cantor e compositor  Konai, referência nacional no estilo Sad Songs

Batemos um papo bem legal, falando sobre o lançamento do seu novo single “Bêbados Apaixonados”. A faixa foi liberada em todas as plataformas digitais nesta sexta-feira (25). Mas, além da novidade, nós também conversamos com ele sobre seu processo de criação, suas referências e reflexões, e também sobre o impacto da música na vida dos jovens desta geração.   

Com 19 anos, o músico já possui uma carreira promissora. Trabalhando durante três anos de maneira independente, em fevereiro de 2020, Konai passou a integrar o time de artistas da Sony Music Brasil

Confira a entrevista completa

Latinos Brasil: Qual é a história por trás de “Bêbados Apaixonados”? Você pode compartilhar como foi o processo criativo da música?

Konai: “Bêbados Apaixonados” foi uma música que eu fiz quando fui para minha cidade, Campo Grande no Mato Grosso do Sul, passar um tempo com a minha família para tentar organizar as ideias. Eu lembro de um dia tá produzindo e veio esse pensamento de representar, a cidade.

Eu falo muito de bares e cidades nessa música, por que eu fiz essa representação. Bêbados e apaixonados é justamente pela “pira” de todo tipo entorpecimento que a gente tem na nossa consciência. Relacionado a ilusões, erros ou qualquer coisa que possa levar a gente a não conseguir tomar a decisão mais coesa quanto a realidade.

Nesse processo, enquanto todo mundo é um pouco bêbado apaixonado por aí largado, sem ter certeza da existência, a todo momento. É muito importante que a gente se vire para dentro de nós mesmos, para conseguirmos enxergar de onde vem essas coisas, essas nossas faltas que precisam ser preenchidas de algum jeito que nunca sabemos  exato com o que. 

Então “Bêbados Apaixonados” fala justamente sobre saber a linha tênue entre o quanto a gente depende do outro para ressignificar muitas e aprender coisas. Mas o quanto depende de nós mesmos, para conseguirmos alcançar os caminhos que o outro nunca irá conseguir entender, devido a nossa individualidade.  

Latinos Brasil: Você acompanha toda a produção os seus materiais? Desde o início a finalização? Seja uma nova música, uma capa ou clipe. 

Konai: Eu produzo minhas próprias músicas, eu componho todas elas. Mas também trabalho com outros produtores. Sempre quando eu “trampo” com outros produtores eu curto colocar alguma coisa ou outra. Normalmente sou eu que produzo porque eu vivo no estúdio, tô sempre aqui fazendo minhas coisas, é o que mais faz sentido pra mim. Mas, no geral eu acompanho tudo mesmo. No processo do clipe também, eu sempre gosto de dar umas ideias de direção e escrever os roteiros.

Latinos Brasil: Agora uma curiosidade, falando de “Petricor”, seu último álbum. De onde veio a ideia dele? Qual foi o conceito por trás da escolha do nome?

Konai: É que seu sempre gostei de chuva sabe, meu primeiro álbum, a ideia dele era chamar as vozes da madrugada chuvosa que eu sou. E “Petricor”, eu lembro de descobrir essa palavra, aí eu vi o significado,  que basicamente é o cheiro da chuva em contato com o solo seco. 

 A “pira” de “Petricor” é sobre eu encarrar minha música,  como essa chuva que vem pra relembrar esse solo de que ele não é assim. Mesmo que ele tente se convencer que ele é assim naquele momento, a água sempre está embaixo de tudo. Então é como se fosse essa água de amor que viesse regar as coisas de novo, para lembrar as pessoas, que elas precisam sentir coisas. E dar de cara com vários conflitos que farão elas entenderem coisas que simplesmente tem a ver com a sensibilidade que é inegável do ser humano.

Não tem como acharmos que somos máquinas e que estamos livre de sentimento. Enquanto a gente não der a devida atenção a isso, vamos  continuar nesse despreparo total quanto a sentimentos.

Latinos Brasil: Quem são suas referências musicais no cenário nacional e internacional?

Konai: Da música internacional eu gosto muito de Pink FloydKehlani e SZA. Do nacional, admiro bastante o “trampo’ que o Thiago Iorc fez no último álbum dele, eu gosto muito de Lagum e Terno Rei

Latinos Brasil: No seu som, a gente vê influências de vários ritmos. Mas teria um que em algum momento, você falasse acho que eu nunca vou fazer algo do gênero e talvez hoje você tenha uma perspectiva diferente?

Konai: Eu realmente não sei qual outro ritmo, por que eu sou bem aberto para esse tipo de coisa. Eu acho que conseguiria implantar minha identidade em vários âmbitos, eu já fiz vários tipos de música, já passei por várias fases. 

Latinos Brasil: Qual é a sua música favorita do momento? A que você mais repete na sua playlist. Não vale ser  sua.

Konai: A Toxic da Kehlani. 

Latinos Brasil: Através das suas músicas você promove um canal de ligação e voz para tantos jovens. Quando você para e refleti isso, como você se sente? Como você sente a influência da música nas pessoas? 

Konai: Sempre que eu paro para pensar sobre isso, é muito doido! Porque eu lembro claramente de como eu me sentia quando eu comecei, todo o sentimento de ser jovem e ter tanta coisa para falar. Eu vejo muito um processo de transição que estamos passando enquanto ser  humano, de precisar lidar com uma nova realidade. É muita coisa que a gente não se tocava, que tava passando despercebido. 

De toda forma no mundo animal, sempre foi preciso que a sobrevivência se adaptasse de várias formas. Querendo ou não agora, eu enxergo muito que a gente tá passando por um processo de seleção natural, para aprendermos a lidar com o mundo como ele é. A gente tá literalmente inserido num mundo pra lidar com coisas, que não fomos programados. Então tá sendo um processo de transição muito marcante. Eu falo que todas as fases têm seus pontos e todas as suas questões, sobre esse momento que tá sendo muito triste para  nós enquanto humanidade.

A linha de frente

Que eu tomo com os jovens,  e que a gente recebeu muita informação desde cedo. Nessa geração tem muita coisa que chegou de jeitos até distorcidos, muita informação a todo momento. Agora nós temos muita coisa para falar e muita coisa ressignificar. Se fosse pensar, os jovens de um tempo atrás e até mesmo os adultos, não tinham metade das informações que tipo um menino de 12 anos hoje tem. Isso é muito bizarro, o tanto de coisa que a gente tá tendo de adaptar na nossa consciência para lidar com a sociedade atual.

É falando dessa juventude que precisa ser ouvida. E que tem muito pra falar! É muito desesperador você não poder falar. Esse sentimento de você ter invalidado sua voz, é muito desesperador. É uma coisa que consome muito a nossa geração,  justamente por termos muita coisa pra dizer, já que tem muita coisa rodando a nossa cabeça. 

Então eu vi muito no Sad Songs um encontro. A ponte de ligação entre esses jovens que estavam precisando se expressar e falar ‘Velho, eu também me sinto assim”.  Justamente sobre a pureza desse sentimento de falar “Nossa eu não tô sozinho, não tá tudo perdido, tá tudo suave, da pra lidar”. Principalmente para eles verem que eu lidei de várias formas, ainda tenho que lidar, mas eu consegui. Hoje eu vivo de música, eles também poderiam fazer o que quisessem com isso, convertendo tudo que existe na cabeça deles. 

Latinos Brasil: Tem alguma história que assim marcou muito você, de algum fã, com relação a sua música?

Konai: Cara, tipo já tiveram varias histórias muito legais, mas, normalmente as tatuagens me marcam muito! Eu não lembro exatamente a que mais me marcou. Mas, eu já recebi vários textos de casais, contando como aconteceu toda a história relacionado a mim, no relacionamento deles. Depois eles tatuando junto e tipo eu fiquei meu Deus! Só o fato de tá ali tatuado o meu som, é muito legal.

Latinos Brasil: Porque aí você vê quão forte é o poder o impacto do seu som na vida das pessoas. 

Konai: Eu to na pele da pessoa! O bagulho que eu escrevi no meu quarto tá na pele dela!

Latinos Brasil: O que a galera pode esperar do Konai? Você pode adiantar algum projeto,  além de bêbados apaixonados? 

Konai: Eu ainda não posso dar spoiler dos projetos. Mas,  eu posso falar que vão sair uns feats muito legais e muito singles para vocês esse ano ainda.

Latinos Brasil: Hoje com três anos de carreira, se você fosse definir sua trajetória e em uma palavra, qual seria?

Konai: Meu Deus! Gente isso é muito complicado, eu não tava preparado pra essa! Uma única palavra pra definir tudo isso? Meu Deus do céu! É muito legal pensar sobre isso, eu acho que ESCLARECIMENTO, mas tem sido um processo todo de esclarecimento, muito grande pra mim de todas as formas.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *