Anahí é a #ArtistaDoMês | Latinos Brasil | www.latinosbrasil.com Latinos Brasil | www.latinosbrasil.com

Anahí é a #ArtistaDoMês

Fevereiro começou e com ele, trazemos o artista do mês #LB! Neste especial, a escolhida para ser homenageada, é a cantora, empresária, atriz e compositora: Anahí. Com todo amor, agradecemos aos 21 mil votos! Se o seu artista não foi escolhido, fica tranquila(o)! Teremos muuuitos especiais ao longo deste ano e com certeza, ele (ou ela) irá aparecer por aqui.

INÍCIO DA CARREIRA 

Nascida em 14 de maio de 1983, na Cidade do México, Anahí Giovanna Puente Portilla (de Velasco), mais conhecida como Anahi, é filha do Enrique Manuel Puente e Marichelo Portilla e irmã da Marichelo Puente e Diana Puente. Como já mencionado, Anahí é cantora, atriz, compositora, estilista, modelo e empresária! Essa super lista tem um motivo: a mexicana começou a carreira beeem cedo.

Assim como Selena Gomez, nossa homenageada do mês de outubro, Anahí iniciou sua carreira ainda quando criança. Aos 2 anos, fez sua primeira aparição no programa infantil “Chiquilladas” (1982), no qual ela já mostrava seu talento musical também, já que ela cantava a música de encerramento, “Te Doy un Besito“. A pequenina ainda participou de outras exibições infantis, como: “La Telaranã” (1986) e “Super Ondas” (1989).  Já em 1993, Anahí lançou o seu primeiro álbum, intitulado com o seu próprio nome, dando seus primeiros passos para uma carreira  promissora.

Ao longo de sua carreira, Anahí colecionou atuações em telenovelas, tendo sua estreia em “Madres Egoistas” (1991) e vivendo sua primeira protagonista em “Angeles Sin Paraiso” (1992). Além de garantir pontas em filmes, como: “Asesinato a Sangre Fría” (1991) e “Habia Una Vez Una Estrella” (1989), no qual ela recebeu o prêmio “Palma de Ouro” pela sua atuação, quando tinha somente 6 aninhos.

Na adolescência, participou das telenovelas “El Diario de Daniela” (1998) e “Mujeres Engañadas” (1999). Já em 2000, Any protagonizou “Primeiro Amor: A Mil Por Hora“, produzida por  Pedro Damián (guarda esse nome! Vai ser importante ainda), que também contou com a cantora e atriz Dulce Maria no elenco. A novela foi muito bem recebida pelo público jovem e garantiu mais alguns prêmios para a mexicana.

"Primeiro Amor A Mil Por Hora" | Créditos: Televisa (Divulgação)

“Primeiro Amor A Mil Por Hora” | Créditos: Televisa (Divulgação)

PROBLEMAS DE SAÚDE

TW: distúrbios alimentares (a partir do próximo tópico, o assunto não é mais mencionado)

Já durante as gravações de Primeiro Amor, Anahí enfrentou uma luta contra a anorexia nervosa, um distúrbio alimentar que leva a pessoa a ter uma visão distorcida de seu corpo (Hospital Israelita A. Einstein). Durante uma viagem em família, Any começou apresentar sensações de desmaio, foi elevada ao hospital e seu coração parou por 8 segundos. Na época, a cantora chegou a pesar somente 35 quilos. O ocorrido ficou tão marcado que, no dia 29 de abril, os fãs relembram o “Anahí Day“, como forma de celebrar a vida da cantora.

Em 2008, em parceria com a Televisa, Anahí foi a cara da campanha “Se Yo Puedo Tu Tambien“, que incentivava adolescentes, com distúrbios alimentares, a pedirem ajuda. Em recente participação no podcast do Daniel Habif, a cantora revelou que um produtor foi o responsável por despertar um gatilho para que ela começasse a questionar o próprio corpo: “Um produtor obviamente não vou dizer o nome, disse ‘Anahí, você quer ser protagonista dessa novela, mas a protagonista precisa ser magrinha, não pode ser gordinha”, contou.

CLASE 406 

Em 2002, Anahí entra para o elenco da segunda temporada de Clase 406, também produzida por Pedro Damian (segura aí, ainda é um nome beem importante), a trama gira em torno de um grupo de jovens que vivem todos os altos e baixos da adolescência. Na telenovela, Any esteve ao lado de seus futuros companheiros de cena em Rebelde: Dulce Maria, Alfonso Herrera e Christian Chávez.

Anahi e Dulce Maria em Clase 406

Anahi e Dulce Maria em Clase 406

SUCESSO DO RBD 

Yo digo R, tu dices BD! Com estreia em 2004, “Rebelde” dispensa qualquer tipo de apresentação, a novela foi um sucesso mundial. Sendo exibida em mais de 30 países, a produção foi responsável por fazer os protagonistas Anahí (Mia Colucci), Alfonso Herrera (Miguel), Christian Chávez (Giovane), Dulce Maria(Roberta Pardo), Christopher Von Uckermann (Diego) e Maite Perroni (Lupita) a serem conhecidos no mundo inteiro. A produção se passa, em boa parte do tempo, no colégio “Elite Way“, no qual é abordado todos os dilemas da vida dos adolescentes que ali estudam, principalmente, dos personagens principais.

Na trama, Anahí deu vida a icônica Mia Colucci, uma patricinha rica, popular e um ~pouquinho~ dramática! A frase “Ah, como é difícil ser eu” foi um marco no reportório da personagem. Agora sim, Pedro Damián também esteve por trás da produção executiva de Rebelde e a junção do elenco, foi bem fácil, afinal ele já conhecia o trabalho dos grandes nomes da novela.

Anahi como "Mia Colucci" em Rebelde (2004)

Anahí como “Mia Colucci” em Rebelde (2004)

O sucesso foi tamanho que o grupo RBD, formado na ficção, ultrapassou todas as barreiras das telinhas. Em 2004, o álbum “Rebelde” foi lançado, sendo certificado de ouro no México e 6x platinado no Brasil.  Ao todo, foram 6 álbuns de estúdios e 3 ao vivos. Dentre eles, Nuestro Amor(2005), Celestial(2006), Empezar Desde Cero(2007) e Para Olvidarte de Mí (2009).

A segunda gravação da banda, “Nuestro Amor“, recebeu disco de platina, após 7 horas de lançamento no México. Além de trazer sucessos, como: “Trás de Mi“, “Aún Hay Algo” e “Una Canción“.

E claro, não podemos deixar  de mencionar “Sálvame“, canção do primeiro trabalho da banda. Com a Anahí sendo a principal interprete, a canção acompanhou a banda por quase toda a trajetória das turnês. Em 2006, durante a passagem do grupo pelo Brasil, Any emocionou o público do Estádio do Maracanã com o seu discurso antes de performar a música. Veja:

CARREIRA SOLO

Capa de "Mi Delirio", lançado em 2009.

Capa de “Mi Delirio”, lançado em 2009.

Embora Anahí já tivesse lançado outros álbuns solos, sua carreira musical ficou mundialmente conhecida como parte do grupo RBD, assim como os outros integrantes. Porém, em 2009, com o lançamento do single “Mi Deliro“, Anahí consolidou de vez sua carreira como solista. 

Em 24 de novembro, pela gravadora EMI Music, o álbum “Mi Delirio” foi oficialmente lançado. Além da faixa título, o projeto contou mais 4 singles, sendo eles: “Me Hipnotizas“, “Quiero“, “Alérgico” e “Para Qué“. No Brasil, foram mais de 25 mil cópias vendidas, conquistando o certificado de ouro no país.

Com os três atos da turnê (“Mi Delirio World Tour“, “Mi Delirio World Tour Reloaded” e “Go Any Go“), Anahí retornou ao Brasil, passando por São Paulo, Rio de Janeiro e Fortaleza. Segundo a Billboard, a tour esteve entre as mais lucrativas do primeiro semestre de 2010. Ao todo, foi arrecado mais de 851 mil dólares na época.

Embora a Anahí tenha realizado vários pequenos projetos e lançamentos de parcerias de sucesso, como: “Rumba” com o cantor Wisin, o sucessor de “Mi Dilerio” só foi lançado 7 anos depois. Em 2016, para a alegria dos fãs, Anahí lançou “Inesperado“, contendo os singles “Eres” feat. Julión Álvarez e “Amnesia” que foi performada nos prêmios Juventud 2016.

FAMÍLIA E CARREIRA

Atualmente, aos 37 anos, Anahí é casada, desde 2015, com o Manuel Velasco Coello, senador da República do México, e mãe dos pequeninos Manuel (4) e Emiliano (1). Em 2016, quando a cantora anunciou que estava grávida do primeiro filho, ela foi capa da revista Caras, versão México.

Anahí na coletiva de imprensa do lançamento de “Valiente”

Ela faz de tudo e não é meme! Em 2019, a mexicana lançou o livro “Valiente” que conta um pouco sobre a experiência da maternidade, incluindo o relato sobre ter comido a própria placenta, após o nascimento de Manuel.

No final do ano passado, Any também lançou sua  linha de maquiagem, a “An Makeup“. E detalhe, ela fez questão de incluir uma paleta de sombras, com vários tons de rosa e brilhos, chamada “Mia Palette“. Foi uma forma que a cantora encontrou para homenagear sua personagem mais marcante, a Mia Colucci (Rebelde).

Essa não é a primeira vez que Any tem contato com o mundo da moda não, no ano de 2006, a cantora inaugurou a “Anahí World“, uma loja de roupas no México que continha peças produzidas por ela mesma e em 2013,  lançou sua própria linha de esmaltes, chamada “Be“.

Depois de 12 anos, fomos agraciados com o reencontro do grupo RBD na live “Ser o Parecer“. Embora as performances não tenham tido a participação de dois integrantes da banda, Dulce Maria e Alfonso Herrera (ambos mandaram apoio nas mídias sociais), a apresentação foi um sucesso e teve bastante repercussão nas redes. Além disso, lançaram o single inédito “Siempre He Estado Aquí“.

Recentemente, após muitos pedidos dos fãs, todas as músicas do grupo foram adicionadas oficialmente no Spotify. Em apenas 24h, o RBD ocupou 39 posições no Top 50 Viral do Brasil na plataforma. De acordo com a Universal Music, as músicas apareceram no chart de 15 países da América Latina e para completar, “Sálvame” ocupou o 110° no Spotify Global, com 1 milhão de reproduções.

Anahí durante a live "Ser o Parecer"

Anahí durante a live “Ser o Parecer”

Anahí é conhecida pela garra e persistência, não somente pela luta contra um doença seríssima, mas como ela persistiu durante toda a carreira para chegar no lugar que desejava. Além de utilizar suas plataformas  e seu espaço para espalhar mensagens poderosas. Uma inspiração! Então, só poderíamos finalizar essa homenagem, com uma frase dita pela cantora antes de performar Sálvame:

Essa canção tem um significado, que apesar dos momentos mais obscuros sempre podemos encontrar a luz, a fé, o amor. Vale a pena lutar, vale a pena sonhar. Quero um planeta para todas as crianças do mundo com esperança, magia, liberdade.”

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *