Imagine vários temas pro programa Casos de Família, comandando por Cristina Rocha no SBT, e tente criar uma história onde uma unica família vivencie todos esses atritos pautados. Assim surge a 3° série mexicana original da Netflix: “La Casa de las Flores”.

 

Estreou nesta última sexta-feira (10) a série criada e dirigida por Manolo Caro. A trama é Protagonizada por Verônica Castro, juntamente com Cecilia SuárezAislinn Derbez, e Darío Yazbek Bernal. 

Com censura de 16 anos, o enredo é repleto de humor negro, trazendo em demasia o  sarcasmo. A história gira em torno da família De La Mora, que é bem sucedida, e dona de uma floricultura reconhecida. De um dia para o outro, Ernesto (Arturo Ríos), chefe da família, descobre que sua amante de longa data se suicidou. Lembrando que isso não é um spoiler, pois o acontecimento se passa nos minutos iniciais do episódio piloto.

Por conta dessa fatalidade, ele decide levar seus filhos para morarem junto com sua atual esposa, Virginia (Verónica Castro) e família, que até então não sabiam do tal ato extraconjugal. Depois da revelação, vários outros segredos vão surgindo a tona, e eles terão que se esforçar para esquecer os problemas e perdoar uns aos outros.

Esqueça aquele clichê mexicano, ou histórias totalmente previsíveis. Em La Casa de Las Flores, você irá se surpreender junto com os personagens a cada episódio, novos segredos são revelados, que de maneira cômica eles vão tentando arranjar um jeito de consertar e ser perdoado.

A série vem carregada de referências de produções como Dallas, Falcon Cres e Dinastia, e também aborda questões sociais como homossexualidade e transexualidade, onde conta com a participação do ator Paco León, no papel de José Maria, que logo se tornou Maria José, e que vem dando o que falar, já que é um ator heterossexual, e não fato uma atriz trans que dá vida ao personagem.

Paco León, como María José, em ‘La casa de las flores’. NETFLIX

Durante a coletiva de imprensa, o diretor da série comentou sobre o tema, e deixou claro que a presença do personagem não seria utilizado como recurso cômico, e de fato isso se cumpriu. Pois Maria José teve um valor fundamental, e foi inserido com muito respeito na história.

 

Reviravoltas

Ao acompanhar as consequências após o suicídio da amante do patriarca, temos a plena convicção de que sim, mentira tem perna curta, e que a máscara uma hora cai para todo mundo. Capítulo após capítulo, a família que vive de aparências, para a imprensa e vizinhos, vai se desmontando de maneiras inesperadas, e muitas vezes cômica.

Maridos e esposas infiéis, falência, narcotráfico, vídeos íntimos vazados e muitos mais, são apenas alguns conflitos que essa família irá enfrentar. Porém, apesar de segredos revelados, desavenças e disputas, quando é para um bem maior, todos se unem como toda boa família.

Família De La Mora da série La Casa de las flores – Netflix

Os títulos de cada episódio são nomes de flores, seguidos de sua simbologia, e que consequentemente acaba representando o que será exibido, como por exemplo, Episódio 3 – Lírio (Simbolo da Liberdade). É neste capítulo que explorará um momento importante de um personagem que se descobre bissexual.

O elenco está incrível, todos os membros dos De La Mora são o coração da série com suas personalidades distintas. Aqui estamos vendo o que seriam de telenovelas mexicanas da Televisa, ou TV Azteca se não tivessem se acomodado na mesmice, e seu humor muitas vezes exagerado, ou forçado. A trama mesmo com comédia, trouxe consigo uma reflexão e exercício de crítica social.

Se você é daquele que não se ofende com humor negro, ama uma reviravolta, e gosta de maratonar séries, La Casa de las Flores é uma ótima opção, ainda mais que são apenas 13 episódios de basicamente meia hora cada. A trama está disponível na Netflix com legendas em português.

Assista ao trailer oficial da trama:

 

Leia outras críticas de séries: Luis Miguel – La SerieEl Dandy | O Exorcista | Mariposa de Barrio | 3 %

Crítica de filmes: Thor Ragnarok | Vingadores: Guerra Infinita | Deeadpool 2